sábado, 18 de julho de 2015

Oficina de pintura -

Oficina – Pintura com lápis
Muitos professores acham que para trabalhar com pintura com lápis com seus alunos, só é possível se tiverem materiais sofisticados, caixas de lápis com 24 ou 36, papel Canson ou Ingres e isto não é verdade. Às vezes as crianças têm a sua disposição lápis preto e papel sulfite.... dá pra ter uma aula de pintura? Com certeza, as crianças podem trabalhar com os tons de cinza ao preto que o lápis proporciona, podem trabalhar com pontilhismo, com pintura com pequenos traços, com pintura de traços entrelaçados, com pintura de luz e sombra ou pintura chapada, enfim, a aula de pintura pode acontecer, só depende de boa vontade.

Exercícios iniciais para pintar – Coordenação motoraa) É importante que a criança se exercite bastante para ter mais segurança ao pintar. Comece com linhas retas e curtas, depois retas contínuas, depois curvas curtas e curvas contínuas.
Exemplo:
 

Exercícios iniciais para pintar – Controle da pressão na mão / Efeitosa) Aponte o lápis e inicie o exercício pressionando bastante sobre o papel e, aos poucos, diminua a pressão. Você conseguirá uma pintura em degradee.
Faça na horizontal, vertical e inclinada.
 

Dicas importantes para pintar – Idades
Fase I - 0 aos 7 anos  -
 Pintura chapada – As crianças pintam preenchendo os espaços. Geralmente se preocupam em pintar somente as figuras desenhadas.
 

 Fase II – 8 aos 11 anos – Pintura com luz e sombra simples – Proponha exercícios que as crianças entendam que tudo que está mais próximo do sol ou do ponto de luz, ficará mais claro e, tudo o que estiver mais longe ficará mais escuro.
 

 Fase III - Dos 12 anos em diante – Pintura com luz e sombra com projeção - Nesta fase a criança já fez várias pinturas chapadas, já pintou com luz e sombra simples, portanto poderá ser orientada a pintar com luz e sombra projetada, isto é, o objeto projeta uma sombra no chão ou na parede do lado contrário daquele que a luz está incidindo sobre ele.

 
Dicas para pintar
a) Papel
– Canson – É o tipo ideal de papel para pintar porque a gramatura é bem alta.
- Cartolina – As melhores cartolinas para pintura são as de gramatura mais altas e opacas. Nas brilhantes, o lápis não consegue se fixar com qualidade.
- Color Set – Os melhores são os de gramatura maior e opacos para que o lápis se fixe bem.
- Cartão – Não é bom para pintura pois é muito brilhante e os lápis não se fixam.
- Sulfite – O melhor é o de gramatura 90 porque o de gramatura 75 é muito fino.

b) Lápis preto
- Os lápis possuem minas mais duras (H), intermediárias (F) ou mais macias (B).
Por “H” entende-se “Hard” – mina dura
Por “B” entende-se “Brand” – mina macia
Por ”HB” entende-se “Hard/Brand” – mina de dureza média
Dura                                              Média                                              Macia
    8H  7H  6H  5H  4H  3H  2H  H  HB  F  B  2B  3B  4B  5B  6B  &B  8B  9B

c) Lápis de cor
         - Mina do lápis - Alguns lápis possuem minas muito duras, isso dificulta o trabalho das crianças uma vez que é necessário mais conhecimento técnico para pintar. As crianças devem pintar com lápis de cor de minas intermediárias ou macias.
         - Ponta do lápis - É importante que a criança mantenha a  ponta sempre afiada, se ficar arredondada é capaz de borrar ou dificultar a passagem em áreas menores, ao contrário do sombreado que se pode fazer praticamente um desenho inteiro sem apontar.
         - Ação de pintar - Para pintar um desenho é importante passar o lápis com leveza, não coloque força na ação porque poderá marcar a folha.
        - Direção – Ensine seus alunos a pintar sempre num sentido só, pode ser o desenho todo ou cada parte num sentido, o que não pode é pintar em vários sentidos na mesma parte. Ex. No jarro pintar um pedaço no sentido horizontal, outro no vertical, outro circular, etc.


e) Erros comuns que as crianças cometem ao pintar
    - Contorno em preto – O contorno das figuras com o lápis preto deve ser a última coisa a ser feita e, as crianças, geralmente fazem em primeiro lugar e acabam borrando toda a pintura.
       No exemplo abaixo você poderá ver que se o contorno for feito antes da pintura, a tendência é que o lápis colorido ao se “encostar no preto”, traz o  preto pra dentro do desenho borrando todo o trabalho.
        Sendo assim, o certo é pintar todo o desenho e deixar para passar o preto no final. O contorno de preto serve para realçar o trabalho.
 
     - Pintura do fundo – Na pintura de uma paisagem, por exemplo, geralmente as crianças pintam a montanha de marrom, as casas, a praia e o mar e se esquecem do céu. Ao serem perguntadas se não falta mais nada, elas dizem “Ah professora, faltam as nuvens e o sol” e pintam as nuvens de azul e o sol amarelo.
      Pergunte a ela se já viajou de uma cidade para outra e se ela viu alguma montanha marrom. Na hora elas vão perceber que as montanhas são cobertas de vegetação, portanto verdes. Peça que olhem para o céu e vejam se as nuvens são azuis. Elas vão ver que o céu é azul e que as nuvens são brancas ou acinzentadas quando carregadas prometendo chuva.
       A pintura deve começar pelo último plano, depois o penúltimo.... até o plano que está mais próximo dos nossos olhos.
      Depois que todo o desenho está pintado, sombreie com a mesma cor que pintou e com um tom mais forte para realçar mais ainda a pintura. Siga o exemplo de pintura com luz e sombra acima. Não se esqueça que esse tipo de pintura deverá ser ensinado para crianças a partir dos 8 anos, antes disso somente pinturas chapadas.
      Faça toda a pintura e, se quiser, contorne de preto por último.
 

PINTURA COM LÁPIS DE COR - POSSIBILIDADES
a) Pintura com lápis preto nº 02 sobre fundo brancoConsiste em pintar com lápis preto de maneira que os elementos desenhados fiquem mais fortes e o fundo mais claro.

 

b) Pintura com lápis de cor branco sobre fundo preto (papel color set)Consiste em utilizar o lápis de cor branco em papéis escuros (preto, vinho, verde musgo, marrom ou roxo). O papel deve ser fosco para que o lápis deslize e a pintura apareça bem.

 

c) Pintura com lápis de cor – PontilhismoO lápis deve estar bem apontado e o desenho não pode ser muito grande porque a criança não tem paciência para desenvolver técnicas que demorem muito.

 

d) Pintura com lápis de cor – Preenchimento com tracinhosO lápis precisa estar bem apontado e deve se ter bastante paciência para que o resultado fique bom.

 

e) Pintura com lápis de cor preto – Preenchimento com linhasConsiste em preencher todo o desenho com linhas contínuas, curvas, quebradas ou retas.

 


f) Pintura com lápis de cor – Preenchimento com linhasA criança poderá preencher com linhas retas ou curvas, símbolos, bolinhas, triângulos, etc. O resultado é uma pintura diferente.

 

g) Pintura com lápis de cor – Linhas trançadasEsse tipo de pintura começa com linhas paralelas no mesmo sentido, quando tudo estiver preenchido a criança deverá traçar linhas paralelas no sentido oposto (trançando as linhas).


h) Pintura com lápis de cor – Pó de lápisAponte o lápis várias vezes e reserve o pó que se solta da mina. Coloque o dedo indicador sobre o pó e pinte o desenho. Troque de cor conforme os elementos do desenho.

 

i) Pintura com lápis de cor preto sobre fundo branco – AquareladoPinte todo o desenho com lápis de cor aquarelado preto. Alguns lugares mais escuros, outros mais claros. Molhe um cotonete ou pincel em água e passe sobre o trabalho para aquarelar. Uma outra forma de aquarelar é borrifar água sobre o desenho e esperar secar.

 

j) Pintura com lápis de cor  aquareladoPinte todo o desenho com lápis aquarelado (várias cores). Passe um pincel úmido sobre o desenho para aquarelar.

 

Todos os desenhos que mostram as possibilidades de pintura foram feitos por Mariana Querino Teixeira e Lucas Querino Teixeira, orientados pela prof. Márcia Querino Teixeira de Pirituba - SP.

Ivete Raffa
Arte educadora e Pedagoga
www.iveteraffa.com.br

Um comentário:

Sheryll Gaspar Pereira disse...

Adorei a aula .Bem prática e e super didática. Vou fazer com minha minha filha em casa. Sou arteterapeuta e gosto de tudo relacionado á arte. Meu foco não são as técnicas ,mas o lado emocional e criativo.Como não sou formada em Artes visuais e sim em Pedagogia, faltou aprender um pouco de técnicas.Um abraço